12/04/2018 - 16:05

Trade quer turismo como bandeira de candidatos nas Eleições 2018

Presidenciáveis e candidatos à majoritária nos estados irão receber documento com sugestões do setor para serem inseridas em seus planos de governo.

Trade quer turismo como bandeira de candidatos nas Eleições 2018

Colocar o turismo nos planos de governos de candidatos à presidência e aos governos dos estados é o objetivo dos representantes do setor para as eleições deste ano. Um documento com sugestões está sendo elaborado pelo trade turístico brasileiro. O assunto foi debatido, nesta semana, em Brasília, durante reunião do Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade (Cetur) da Confederação Nacional do Comércio (CNC).

Foto: Roberto Castro/ Mtur

Para o presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Turismo do Congresso Nacional, deputado Federal Herculano Passos (MDB/SP), alcançar o objetivo do trade é fundamental para o desenvolvimento do setor. “O turismo no Brasil pode gerar tanta riqueza para o país quanto a agricultura ou a indústria. Mas, para isso, precisamos de governos que priorizem o setor. Se a Pasta do turismo continuar a ser tratada como de menos relevância e continuar com esse orçamento pífio, nunca seremos a potência turística que as belezas naturais e nosso povo permitem que o Brasil seja”.

Conforme o presidente do Cetur/CNC, Alexandre Sampaio, o documento trará propostas que envolvem a regulamentação do setor, ações de gestão e monitoramento, competitividade e promoção. “O texto deve ser finalizado na semana que vem e devemos começar a enviar ou entregar pessoalmente para os pré-candidatos até a última semana de abril”.

Novo ministro

O encontro foi o primeiro compromisso oficial de Vinicius Lummertz como Ministro do Turismo. Ele falou sobre as prioridades à frente da Pasta. “Meu grande esforço neste primeiro momento será trabalhar na sensibilização dos parlamentares para aprovarmos o projeto de lei que está em tramitação no Congresso Nacional e reúne pautas importantes para o setor, como a transformação da Embratur em agência, a modernização da Lei Geral do Turismo e a abertura de capital estrangeiro das companhias aéreas”.

Na sequência, segundo o ministro, a ideia é lançar o Brasil + Turismo 2, com propostas para avançar, ainda mais, na melhoria do ambiente de negócios do setor. Lummertz reforçou, ainda, a importância do Prodetur + Turismo e as possibilidades de investimentos que podem ser feitas com os recursos previstos pelo programa: R$ 5 bilhões.